Corrida de políticos a Rio Preto da Eva congestiona a Rodovia AM-10

Amazonas- O governador Amazonino Mendes (PDT) é o sexto político a visitar Rio Preto da Eva nos últimos dois dias. Ele chega hoje (1º de Abril) à cidade para tomar café regional da Priscila, às 9h, conforme a agenda divulgada.

Amazonino é mais um que vai em busca de tirar proveito eleitoral da popularidade do prefeito Anderson Sousa (Pros). Tanto, que moradores comentavam, que eles estão congestionando a rodovia AM-10.
Ontem (31 de março), estiveram em Rio Preto os deputados Átila Lins (PSD), Pauderney Avelino (Dem), Josué Neto (PSD). Está previsto para hoje, o senador Omar Aziz (PSD) e, provavelmente, alguns deputados da Assembléia Legislativa do Estado (Aleam), que aproveitam os dias de comemorações do aniversário da cidade e mais a Feira da Piscicultura, como ponte para as suas pretensões políticas.

A corrida de pré-candidatos às potencialidades produtivas do município, onde está acontecendo a Feira da Piscicultura, com shows local e nacional, se deve à facilidade com que o prefeito tem transitado junto ao eleitorado local.

Anderson tem gozado de prestigio em sua cidade e, isso não tem passado despercebido a políticos interessados em se reelegerem nas eleições gerais de outubro/2018. O histórico do prefeito é de “caminhão de votos na conta de candidatos à Câmara Federal e ao Senado”. Hoje, Anderson tem, facilmente, como buscar mais de 10 mil votos para um federal, que ele apoiar.
Eduardo Braga (MDB), em 2010, arrastou próximo de 10 mil votos de Rio Preto da Eva. O convalescente deputado Sabino Castelo Branco, teve mais de cinco Mil votos em 2014. A média conquistada pelo prefeito Anderson Sousa, para deputado estadual é de três Mil votos para cada candidato. Em 2014 ele colocou esse número na conta de seis deputados estaduais.

A confiança que o eleitor tem no prefeito não é por acaso. Depois de anos à míngua, o funcionário público de Rio Preto da Eva tem seu salário rigorosamente pago em dias. Os fornecedores com seus produtos pagos em tempo real, ramais pavimentados, escolas reformadas, cidade sendo reconstruída em um ano de administração, na sua quase totalidade por verbas federais.

Fonte: Correio da Amazônia